segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Os últimos preparativos...

A semana passada comecei a planear as minhas refeições para o desafio Whole 30, que começo amanhã com a Ritinha e uma nova aderente, a Ana. 
E nas pesquisas e leituras que fui fazendo, apercebo-me de que o desafio que me foi proposto é capaz de não ser assim tão complicado quanto isso. Porque, na Internet, encontra-se tudo, desde informação sobre o programa alimentar em si, como receitas, comentários, vídeos... O que desmistifica a questão: O que é que eu vou comer? 

Aqui fica um esboço daquilo que serão os minhas refeições a partir de amanhã. E digo, um esboço, porque o planeamento que fiz deverá ser sujeito a alterações, nomeadamente quanto aos almoços e jantares, já que um dos segredos do Whole 30 é aproveitar os restos das refeições anteriores e refazer num novo prato, logo não haverá necessidade de estar a cozinhar todos os dias (algo que eu não tenho tempo).

Terça-feira
Quarta-feira
Quinta-feira
Sexta-feira
Sábado
Domingo
1
2
3
4
5
6
PA
Batata doce com frutos secos
Omelete de legumes
Ovos com brócolos e fruta
Ovos estrelados com kiwi e frutos secos
Batata doce com fruta
sumo de frutas
Almoço
Bife de peru com tomate e abacate
Salmão com brócolos e frutos secos
Frango assado com rabanete
Salmão com delícias e milho
Bife de peru com cenoura
Pato com laranja
Jantar
Delícias do mar com legumes salteados
Atum com cogumelos, alface e cebola
Salmão com ovos cozidos e tomate
Frango assado com salada de tomate e pepino
Ovos verdes com legumes
Peixe grelhado com legumes

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

O que é que eu vou comer?

Bom, a pergunta que fez eco (e ainda faz) na minha cabeça, desde que a Ritinha me "enganou" para fazer este programa com ela, é: o que é que eu vou comer ao pequeno-almoço?

Resposta da Rita: ovos de todas as formas e feitios, fruta fresca e frutos secos. Entrei em pânico, porque, como é sabido, adoro pequenos-almoços. 

Em Janeiro de 2015, aconselharam-me a deixar o pão e o leite. Ora, o meu pequeno-almoço passava por duas torradas com manteiga, na altura Becel, porque o meu pai é diabético, e uma caneca de leite com café ou chocolate (cada vez menos... com chocolate). 

Larguei o leite facilmente e não senti necessidade de o beber. Dizem que não faz sentido os adultos beberem leite, mas o que é facto é que eu não senti falta dele (do leite). 
O contrário, não aconteceu com o pão. Custou-me deixar as torradinhas ou a sandes mista do Zé aos sábados de manhã. E lembro-me que na altura fiz a mesma pergunta: mas o que é que eu vou comer ao pequeno-almoço? Depressa habituei-me a comer cereais com iogurte. Passei a ir à secção macrobiótica/diabética dos hipermercados e comprar cereais de aveia simples, aveia com frutos vermelhos, aveia com frutos secos... E senti-me mais leve e mais alimentada. O pão com leite deixava-me depressa com fome. Mas era tão bom!!! :) 

Como disse, o leite não me fez falta. Bebi leite uma vez que estive doente. Pelo contrário, o pão foi difícil de deixar. E agora? Vou comer ovos de manhã como os ingleses? Ovos estrelados com brócolos? Ovos mexidos com cogumelos e abacate? Ovos com bacon e avelãs? De manhã?

Hummm... ai ai ai...



Whole 30...

Comecei a fazer Crossfit "a sério" em junho de 2014. E digo "a sério", porque a minha procura por um ginásio de Crossfit, que depois aprendi que se chama BOX ao local onde os crossfiters treinam, começou uns meses antes e por outras bandas. (mas isso fica para outras núpcias)

Desde então, quer queiramos ou não, a nossa vida muda. A nossa forma de olhar para o nosso corpo muda, muda também a forma como olhamos para o exercício físico e, principalmente, para aquilo que comemos. 

E é esse o meu ponto de partida do meu blogue renascido. Ponto de partida também para um desafio que a Ritinha me propôs. Claramente, ela é uma rapariga doida por me pedir que deixe a minha aveia com iogurte ao pequeno-almoço. Se bem que, no início de 2015, deixei o leite e o pão. Atualmente, raramente bebo leite e, ocasionalmente, dou um trinca numa torradinha com manteiga. E com isto, comecei a divagar sobre as delícias dos pequenos-almoços, umas das minhas refeições prediletas. Isso e os lanches... gosto taaaaanto!!! 

Mas então, a Ritinha introduziu-me ao Whole 30. O que é o Whole 30? Também não sabia. 
Resumindo, é um programa alimentar cujos objetivos são ensinar-nos a comer melhor e limpar o nosso organismo. Com isto, conseguimos perceber quais os alimentos que nos fazem ficar inchadas, com azia, cansadas, alimentos que nos causam alergias, por aí fora. 

É um programa alimentar de 30 dias e eu e a Ritinha vamos começá-lo dia 1 de Março de 2016. 
Já estou em pulgas!