quinta-feira, 30 de junho de 2016

Bolo 3D

Mais um ano, mais um bolo de aniversário para a minha irmã. Desta vez, eu e a Joana optámos pela decoração 3D em vez de encher o bolo com pasta de açúcar.
A magia aconteceu, mas a massa do bolo pregou-nos uma partida. Um simples bolo de iogurte que ficou rijo e com pouco sabor. Mas, no final, cantaram-se os parabéns e fez-se a festa. 
O resultado foi este, mas a montagem revelou-se mais desafiante do que à partida nos pareceu. Andámos de volta dos m&m's, que teimavam em rolar pelo bolo abaixo, até percebermos que talvez o melhor seria deixar arrefecer a cobertura de chocolate. Assim foi! Mas, o tempo não era muito e só tínhamos uma hipótese para acertar ou não havia bolo para o jantar com os amigos da minha irmã no dia seguinte. Daí que incluímos um elementos convidado, Artur Fonseca, chef premiado pela cozinha dos Algarves que nos deu uma "mãozinha". Felicito o seu trabalho e agradeço o toque de mestre no empratamento do bolo. 

quarta-feira, 29 de junho de 2016

O inimigo glúten

Regressamos, após um período de ausência, mas sempre com grandes temáticas. Desta vez, o glúten, inimigo de muito boa gente. 
Não me afeta comer glúten (acho eu), mas tenho travado conhecimento com pessoas que são intolerantes ao glúten, os chamamos doentes celíacos, e outras que, provavelmente, nem o sabem. Por isso, decidi pesquisar mais sobre o tema e perceber o que é este "inimigo" glúten. 

Na prática, glúten é uma mistura de proteínas que existe nos cereais como o trigo, a cevada, o centeio ou a aveia. Giro é perceber que a palavra glúten, em latin gluten, significa "cola", o que, se pensarmos bem, só por si, não é muito apelativo.
Assim, existe glúten em muitos dos alimentos que servem a nossa dieta alimentar. Aqui deixo uma listinha:

  • Pão, bolachas, biscoitos, massas e bolos;
  • Cerveja, pizza, salgados, hamburgers;
  • Queijos, ketchup e maionese;
  • Salsichas e temperos industrializados;
  • Cereiais, barras de cereais;
  • Xaropes e alguns remédios; 
  • Hóstia distribuída na igreja...


No entanto, não vamos tornar o glúten o pode expiatório para todo o mal que há no mundo. O glúten pode gerar desde simples alergias a problemas intestinais, má disposição, alterações no humor, etc, etc, etc... como já estamos carregados de saber com tudo o que se come em excesso. Portanto, vamos lá comer de modo regrado, sim?

Passando esta parte informativa, a parte boa: Comer sem glúten. É possível e tão boooommm! 

Bolo de iogurte de soja com ananás
Estes bolinhos caídos de céu ao final de uma tarde de sol na praia são o melhor petisco que se pode pedir. Bom, na realidade, com as temperaturas que se têm vivido, uma fatia desta delícia cai que nem ginjas em qualquer altura do dia. 

Bolo de iogurte de soja com pêssego e cobertura de chocolate

A receita é simples e não tem glúten, basta substituir a farinha de trigo por farinha de milho. De resto, o processo mantém-se como se de qualquer bolo se tratasse. 

Nas minhas pesquisas pelo mundo cibernáutico encontrei um blog sobre farinhas sem glúten, que aqui deixo: Farinhas sem glúten

Brindando ao verão fica aqui um Quiz sobre glúten. Divirtam-se!