terça-feira, 12 de julho de 2016

O problema do verão são... os Petiscos!!!!


Para além de todos os dramas para manter um corpo "fit" durante a época balnear, o mais complicado é ceder às tentações trazidas pelo tempo quente. 
O sol traz boa disposição, mas também traz petiscos ao final do dia. Os caracóis e as caracoletas juntam-se à imperial; as ameijoas, percebes, berbigão e frutos do mar afins; o pão torrado quentinho com manteiga; queijinhos para abrir o apetite; chouriços, presuntos; saladas frias com tudo, feijão frade ou grão com atum, com bacalhau; um bom vinho branco ou verde fresquinho... disto e de muito mais se fazem as tardes de fim-de-semana ou até mesmo os finais de um dia de trabalho. O objetivo é aproveitar o verão da melhor forma possível. Depois, é só noticiar o convívio no Facebook.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

As saladas

Alface com tomate chucha, atum e passas
Realmente, o verão chama de tudo um pouco: sol, gelados, gin, petiscos... mas hoje vou me deter nas saladas por recomendação aqui da malta do escritório que anda com desejo de saladas.

No fundo, fazer uma salada equivale a fazer aquilo a que chamo "massa com cenas", que é, por acaso, o título deste blog. Mas, como é verão, e porque a massa é um hidrato de carbono do qual nos queremos ver livre nesta altura, vamo-nos atirar às "saladas com cenas". O nome não tem a mesma piada, mas garanto que o aspeto é de salivar. 

No fim-de-semana e num mood pós-praia, sunset party a refeição principal acabou por ser feijão frade com bacalhau, ovo cozido e cebola, regado com azeite alentejano. Mas, como disse, é possível fazer um vasto número de saladas, sendo que o mais importante é a criatividade. Vale tudo, alface, rúcula, cebola roxa, fruta, frutos secos, azeitonas... vale mesmo tudo! 

Feijão frade com bacalhau, ovo cozido e salsa
Penso que tive o prazer de partilhar convosco o novo hamburguer do H3. Vamos esquecer o hamburger e detenhamo-nos no acompanhamento: salada alface, rúcula e tomate com molho de caril, manga e caju. O molho dá-lhe um sabor oriental. O crocante do caju fornece textura. E a manga (que eu não aprecio, porém...) torna fresquinho o prato. É de provar!!!

Mas vejamos algumas ideias:

Deixo-vos também uma ideia do blog Lemonaid exatamente sobre o tema de hoje: Salada de feijão e queijo de cabra.
E uma delícia do céu que conheci há uns anos no aniversário da Joana: melancia com queijo feta e cebola roxa, mas desta vez, em modo sandes e com a variante queijo fresco. Vejam: Sala de melancia com queijo fresco e hortelã


segunda-feira, 4 de julho de 2016

Os finais de tarde com... GIN

Bom, não são só as dietas do paleolítico que estão na moda. Desde há uns anos para cá que a moda do gin veni, vidi, vici

Mas remontemos aos passado. 
Lembro-me de o meu pai pedir um gin tónico e o barman trazer a bebida num copo comprido apenas com gelo e limão. Lembro-me de que a marca, talvez mais vendida e mais barata, também, era o Gordon's. E fazia-se a festa!!!

Hoje, há todo um ritual para fazer gin e marcas a nascer nas hortas. 
Há todo uma gama de acessórios necessários à sua realização: o shaker, o coador, as pinças de gelo, a colher de mistura comprida, o medidor, etc.. A isto juntam-se as especiarias, também em grande número. Vejamos: bagas de zimbro, cardamomo, casca de noz moscada, anis estrelado, malva, pimenta rosa... Não pára! Há até packs ou kits muito bonitos e apresentáveis à venda a quantias estúpidas. Estúpida é também a quantia que se paga por um gin num bar nos dias que correm. Nada melhor do que comprar uma garrafinha e bebericar descontraidamente com uns aperitivos salgados.

Moda ou não, caros ou não, com mais ou menos floreados, o gin ganhou um rumo monstro. Temos gins portugueses já, o Sharish, mas há sempre quem prefira os clássicos Beefeater, Segrams, Hendrick's ou Tanqueray. 

Cada marca sugere diferentes acompanhamentos. Há os que se bebem melhor com fruta como morangos ou frutos silvestres, outros que são mais apreciados com cascas de laranja, limão ou toranja, há também os que pedem hortelã e qualquer um ficará bem simples.

Nasceu também uma nova gama de águas tónicas. Vemos no supermercado uma série de novas marcas que se juntam ao gin e aos ingredientes fazendo um GIN PERFEITO.   

As festas, os eventos, as saídas têm como ingrediente imperativo: o Gin. Fica bem estar a passear pelo bar com um copo balão cheio de fruta e flores lá dentro. 
Há workshops, há cursos, até há o Dia Nacional do Gin Tónico, a 25 de Junho, que reúne sempre uma data de estabelecimentos para a celebração. Há sempre motivo para festa, Há sempre motivo para beber Gin. O importante é: se beber, não conduza!
  

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Brigadeiro da Dona Maria José


Deixei apenas no Facebook a página da mentora do bolo que serviu o lanche de aniversário da minha irmã, mas a simpatia bem como o trabalho merecem um post especial. Podem sempre visitá-la através da página Zéza Diliciis e curtirem os diversos bolos que por lá andam. Curtir aqui é no sentido de apreciar o rol de bolos que estão partilhados e não "curtir" como quem diz pôr "um like". Podem e devem fazê-lo, mas... bom, a ideia é divertirem-se com a página. 

Foi a segunda vez que provei um bolo feito pelos braços da Maria José. Como sabem, o mote para este blog começou na altura em que fiz o Whole, em Março. No fim do Whole fizemos um super almoço, onde a sobremesa foi um bolo brigadeiro da dona Maria José.
É incrível o sabor cremoso que nos envolve o paladar quando pomos uma garfada deste brigadeiro na boca. É fresco, é doce, é aveludado, é delicioso. Aconselho vivamente!!! 
A qualidade dos ingredientes vê-se e come-se e come-se até não se puder mais ou até o prato ficar vazio.  
Desta vez, e mais uma vez, o produto final não desiludiu e todos os convidados saíram lambuzados do convívio animado. Há que agradecer à Maria José pelo trabalho em cima do joelho e à simpatia e disponibilidade. Como seria de esperar, não sobrou bolo para contar a história.